quinta-feira, 27 de maio de 2010

Licitações abertas para melhorias em avenidas de BH



27/05/2010
O melhor meio de transporte coletivo para atender o Vetor Sul de Belo Horizonte, em Minas Gerais, será analisado por uma empresa especializada, contratada por meio de licitação aberta pela BHTrans. O edital foi publicado nesta semana no Diário Oficial do Município. As informações são do portal “Uai”.
A empresa que vencer vai ter que elaborar o Estudo de Desenvolvimento de Transporte do Eixo Sul, avaliando a alternativa mais viável para a sequência de vias que ligam o Centro da cidade ao Bairro Belvedere, formada pelas avenidas João Pinheiro, Cristõvão Colombo e Nossa Senhora do Carmo.
As opções são: nova linha do metrô; corredor rápido de ônibus, chamado de Bus Rapid Transit (BRT); veículo leve sobre trilhos (VLT); veículo leve sobre pneus (VLP); e monotrilho (meio ferroviário sobre trilhos suspensos por pilares). A BHTrans prevê um investimento de R$ 1 milhão.
O resultado da licitação deverá ser publicado em julho. O estudo está previsto para ser concluído sete meses depois, em fevereiro de 2011.

terça-feira, 11 de maio de 2010

R$ 53 milhões contra gargalos no trânsito


11/5/2010
Estado de Minas (MG)

Novo pacote de obras, no valor de R$ 53,3 milhões, promete melhorar o tráfego nas avenidas Cristiano Machado e Antônio Carlos, em Belo Horizonte. O governador Antonio Anastasia (PSDB) e o prefeito Marcio Lacerda (PSB) assinaram, ontem, convênios para a construção, com recursos do governo estadual, de viaduto, passarelas, alargamento de pista e complementação de intervenções já existentes nos dois importantes corredores viários da capital. Os serviços fazem parte do conjunto de benefícios programados para a Copa de 2014. No caso da Cristiano Machado, a expectativa é de que a conclusão ocorra em menos de um ano.
  
O primeiro convênio, de R$ 20,8 milhões, prevê investimento para aumentar a fluidez no tráfego e garantir maior segurança aos pedestres na Cristiano Machado. Serão construídas quatro passarelas para pedestres nas ruas Alberto Cintra, Gilson Bretas, Jaguariba e Gabirobas, além de duas que estão em implantação nas ruas Modelo e Piracema. Outras quatro serão complementadas na Via 710, próximo ao Minas Shopping, na Rua Geraldo Faria de Souza (entre os bairros Sagrada Família e da Graça), na Avenida José Cândido da Silveira com Rua Baggio Depolizzi e na Avenida Bernardo Vasconcelos, perto do Hotel Ouro Minas. Também serão implantados seis quilômetros de gradil para proteção de pedestres.
  
Até o fim do ano, devem restar apenas 10 dos 29 semáforos hoje existentes na Cristiano Machado. A medida visa a diminuir o tempo de deslocamento entre o Centro da cidade, o aeroporto de Confins, na Grande BH, e a Cidade Administrativa, no Bairro Serra Verde. Com as novas passarelas e complementação das já existentes, serão eliminadas 14 travessias de pedestres. O segundo convênio prevê aplicação de R$ 3 milhões em 33 intervenções também na Cristiano Machado, com reforço de sinalização, implantação de baias para ônibus, realocação de pontos de parada, regularização de calçadas e correções geométricas.
  
Investimento O governo estadual vai destinar R$ 10 milhões para a execução do complexo viário entre as avenidas Antônio Carlos e Abrahão Caram, que devem financiar as desapropriações que devem ocorrer nas imediações. As obras fazem parte do planejamento estratégico para a Copa do Mundo de 2014 e vão facilitar o acesso ao Mineirão e ao câmpus da Universidade Federal de Minas Gerais. As intervenções na Antônio Carlos fazem parte da segunda etapa da duplicação e devem ser concluídas em dezembro.
  
Anastasia autorizou também o início das obras do viaduto que reestrutura o Complexo da Lagoinha. Serão investidos R$ 19,5 milhões na implantação da alça de 326 metros de extensão e 9 metros de largura, ligando o Bairro Lagoinha, na Região Noroeste, ao Centro. A obra possibilitará conexão do tráfego com origem na Avenida Antônio Carlos e destino à Avenida Pedro II e Centro, via rua dos Caetés. No sentido inverso, o viaduto dará acesso à Antônio Carlos a partir da Rua Guaicurus. A nova via será instalada paralelamente ao Viaduto Nansen Araújo, já existente. No local, já podem ser vistos os tapumes, isolando a área onde serão implantadas fundações do viaduto. Uma das metas das obras é favorecer o transporte coletivo, reduzindo o número de veículos particulares e os engarrafamentos.


Qualidade de vida
  
Pesquisa desenvolvida pelo Núcleo de Transportes (Nucletrans) da UFMG vai avaliar a qualidade de vida urbana nas imediações das moradias de Belo Horizonte, condições de acessibilidade a locais de interesse e de mobilidade urbana da população. O formulário, respondido apenas pela internet (www.pesquisabh.eng.ufmg.br) aborda temas como existência ou não de serviços, entre eles a coleta do lixo domiciliar e tempo gasto para deslocamento até o trabalho. A equipe é coordenada pelo professor David José Ahouagi Vaz de Magalhães, do Nucletrans/Escola de Engenharia.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Vetor Norte atrairá mais de R$ 500 mi em investimentos


10/5/2010
O Tempo - MG 

O desenvolvimento do Vetor Norte da região metropolitana de Belo Horizonte, com a conclusão da Linha Verde e da Cidade Administrativa, tem beneficiado o Nordeste da cidade. "A região vai atrair investimentos superiores a R$ 500 milhões até 2014", afirma o secretário da Regional Nordeste Cláudio José Vilela. Hoje, à noite, uma audiência pública na sede da regional irá discutir os impactos do chamado "Center Minas", empreendimento que, segundo Vilela, terá como principais âncoras as redes Leroy Merlin e Wal-Mart.

Além do futuro centro de compras, localizado entre o Minas Shopping e a estação do metrô, a regional lista outros projetos ainda em fase de licenciamento, como a expansão do Minas Shopping e as construções do centro de convenções de Belo Horizonte, da nova rodoviária e da Via 710, que ligará a Pedro II até a avenida dos Andradas.

A audiência pública é a primeira etapa para que os empreendimentos recebam as licenças de instalação e operação. Procuradas pela reportagem, Leroy Merlin e Wal-Mart preferiram não adiantar os planos para a construção do centro comercial.


Projetos. 


A apresentação do projeto será feita pela ETO Construtora, mesma empresa responsável pelas obras de construção da unidade da Leroy no Belvedere, zona Sul da capital mineira. Lá, a rede de materiais de construção teve que assumir uma série de contrapartidas para minimizar os impactos na região.

Na Nordeste, o centro de compras deve ocupar uma área de 73 mil metros quadrados, com duas grandes lojas e uma torre comercial com mais de dez andares. O investimento estimado é de até R$ 100 milhões. O projeto de construção da Via 710 já passou pela audiência pública e aguarda a licença prévia para o início dos estudos. "Será um semianel, que começa pela avenida Andradas (na altura do bairro Esplanada), passa pela Cristiano Machado, Bernardo Vasconcelos, Antônio Carlos, Américo Vespúcio até a Catalão", disse. A prefeitura trabalha na obtenção de recursos que podem chegar a R$ 80 milhões.

Já a nova rodoviária, estimada em R$ 100 milhões, está em fase de projeto arquitetônico, que deve ser concluído em 60 dias. Ela será construída próximo à estação São Gabriel, em parceria com o setor privado.


Vale aplica R$ 138 mi
Outra obra que deve mexer com a região Nordeste é o projeto de modernização da linha férrea entre Belo Horizonte e Sabará, de responsabilidade da ferrovia FCA, subsidiária da mineradora Vale. Orçado em cerca de R$ 138 milhões, o projeto encontra-se em fase de licenciamento pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), segundo a assessoria da ferrovia.

Um dos principais investimentos em infraestrutura ferroviária de Minas Gerais, a obra, segundo a FCA, deve beneficiar 250 mil pessoas em dez bairros. A “transposição” da ferrovia é uma promessa antiga, que agora promete sair do papel. Um dos gargalos é no bairro São Geraldo, onde a linha atravessa. A regional Nordeste prevê o início das obras para julho. A ferrovia, no entanto, ainda não fixou data.

O processo de implantação, que inclui a contratação das empreiteiras e a realização do programa de aquisição de áreas e indenização de benfeitorias, terá início após a liberação das licenças ambientais e da emissão dos alvarás de obra pelas prefeituras municipais de Belo Horizonte e Sabará. O projeto de engenharia, bem como os recursos necessários à execução das obras serão de responsabilidade da Vale. A previsão é que, depois de iniciadas, as obras durem aproximadamente 30 meses.

Nos períodos de pico da produção, o trecho de 8,3 km é utilizado por 28 composições, diariamente, carregadas com soja, minério, ferro-gusa e produtos siderúrgicos.

sábado, 8 de maio de 2010

Planejamento Estratégico Integrado para a Copa de 2014



BHTrans - 30/04/2010

Programa reúne ações que irão preparar Belo Horizonte para receber jogos e turistas durante o Mundial

Em 2014, o Brasil irá sediar a Copa do Mundo, quando deverá receber cerca de 500 mil estrangeiros entre os meses de junho e julho. Em 2009, após a escolha de Belo Horizonte como uma das cidades-sede para os jogos do Mundial, a Prefeitura da capital e o Governo de Minas Gerais se uniram para desenvolver um planejamento estratégico para o maior evento esportivo do planeta integrando projetos que irão preparar a cidade para receber os jogos e os turistas. O Planejamento Estratégico Integrado para a Copa de 2014 foi lançado nesta quinta-feira, dia 29, pelo prefeito Marcio Lacerda e pelo governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, no auditório do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

Os presidentes do Comitê Executivo das Copas, Tiago Lacerda, da PBH, e Tadeu Barreto Guimarães, do Governo do Estado, apresentaram o planejamento que integra os projetos dos governos municipal e estadual. O planejamento se baseia na seguinte estrutura: Mapa Estratégico, Carteira de Projetos e Matriz de Alcance dos Projetos. Serão implantados na capital projetos nas áreas de infraestrutura esportiva, mobilidade, turismo, comunicação e marketing, utilidade pública e requisitos da Federação Internacional de Futebol (Fifa). 

Segundo o prefeito Marcio Lacerda, com a apresentação do Planejamento ficou demonstrado que a PBH e o Governo do Estado estão bem preparados e isso se deve ao esforço cooperado, que é um exemplo que Minas Gerais continua dando ao Brasil, através de um modelo de gestão moderna e avançada ."A vinda da Copa para o país é a demonstração do avanço econômico, constitucional e político que o Brasil vem dando mostras nos últimos tempos. O marketing da cidade é a oportunidade para que Belo Horizonte se firme no cenário internacional", afirmou. 

Marcio acrescentou que a união de esforços deve estar acima de tudo em nome desse projeto que vai trazer benefícios para toda a população. "As tarefas são grandes e complexas. Certamente estamos dando a cada dia um passo positivo, mas esta tarefa vai exigir de todos os envolvidos um espírito de parceria, união e boa vontade", ressaltou.

De acordo com o governador Antonio Anastasia, realizar a Copa do Mundo será um grande desafio e o planejamento apresentado é o primeiro passo para o cumprimento desta tarefa. Anastasia ainda afirmou que o Estado e a Prefeitura estão fazendo um esforço grande para que Belo Horizonte sedie a abertura da Copa do Mundo. "Tudo o que está sendo realizado tem o objetivo de cumprir com todo rigor as exigências da Fifa. Também queremos colocar o Mineirão em plenas condições de disputarmos a cerimônia de abertura do Mundial", disse. 

"O Planejamento Estratégico irá garantir o melhor aproveitamento dos recursos públicos, o cumprimento do cronograma e a agilidade na implantação dos projetos. Pensamos no planejamento pós-copa e desejamos conseguir o máximo de melhorias para a cidade e, por meio dos projetos de infraestrutura, deixar um bom legado para a sociedade", salientou Tiago Lacerda. 

Os Projetos do Planejamento Estratégico

O Planejamento Estratégico organiza as ações em 54 projetos divididos em seis eixos temáticos, que estão detalhados na contracapa desta edição.

- Infraestrutura Esportiva: inclui projetos e ações necessárias para garantir a infraestrutura esportiva para Minas Gerais e Belo Horizonte receberem a Copa do Mundo.

- Mobilidade: reúne projetos para melhorar o acesso a Belo Horizonte e a mobilidade dentro do município.

- Turismo e Rede Hoteleira: agrega projetos e ações para garantir a satisfação dos turistas, incluindo acomodação, recepção e entretenimento durante a Copa.

- Comunicação e Marketing: são projetos e ações necessários para promover Minas Gerais e Belo Horizonte nacional e internacionalmente. 

- Utilidade pública: grupo temático no qual estão reunidos os projetos ligados às áreas de telecomunicações, energia, saúde, segurança, ações sociais e de meio ambiente. O objetivo é assegurar pleno funcionamento de todas estas áreas durante a realização do evento. 

- Requisitos da Fifa: grupo temático criado especificamente para tratar das demandas do Comitê Olímpico Local e da própria Fifa. 


Conheça os eixos temáticos do Planejamento Integrado

Infraestrutura Esportiva 

O eixo compreende a modernização do Mineirão para os jogos das Copas das Confederações (2013) e do Mundo (2014). A obra, que já esta em andamento desde janeiro, será dividida em três fases. Na primeira parte da obra, serão corrigidas as anomalias estruturais das vigas de sustentação do estádio. A partir da segunda etapa, que será iniciada em julho, estão previstas a demolição da geral e o rebaixamento do gramado em 3,5 metros. Nessa fase, o estádio será fechado ao público e os jogos dos times da capital serão transferidos para os estádios Independência, em Belo Horizonte, e para a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Para a terceira fase das obras, prevista para ser iniciada em dezembro, o governo do Estado apresentou a proposta de gestão compartilhada para intervenções civis, manutenção e gestão do estádio. Outra meta deste eixo é assessorar e desenvolver um plano de operação para os municípios com potencial para atração de outras seleções. 

Mobilidade 

Neste ponto, a meta é realizar obras de mobilidade urbana visando à melhoria do acesso a Belo Horizonte e às cidades turísticas do Estado. Outras medidas, como a ampliação do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, também serão tomadas. Para os visitantes que chegarem à capital de ônibus, será construído o novo Terminal Rodoviário, no bairro São Gabriel. O impacto na circulação de veículos, a proximidade com a estação do metrô e o vínculo com o Anel Rodoviário influenciaram a escolha do local. 

Obras para facilitar o deslocamento entre a região central e o Mineirão já estão sendo feitas, como a duplicação da avenida Antônio Carlos e a implantação da Linha Verde e dos corredores rápidos para o transporte coletivo em vias estratégicas, como as avenidas Pedro I, Pedro II, Carlos Luz e Cristiano Machado. Também serão criados viadutos nos cruzamentos das avenidas Antônio Carlos e Abraão Caram para melhorar o acesso ao Mineirão. 

Turismo e Rede Hoteleira 

Desenvolver ações para melhoria da infraestrutura e de serviços de informação com foco no atendimento ao turista é o foco deste eixo. O objetivo é incentivar a implantação de hoteis, apart-hoteis, cinemas, auditórios, bibliotecas, museus e centros de convenções, além de incrementar atividades de apoio aos hospitais que prestam atendimento de urgência e emergência. 

O planejamento também determina a ampliação da rede hoteleira. O Conselho Municipal do Meio Ambiente (Comam) aprovou a Deliberação Normativa 65, que tem como objetivo simplificar o licenciamento dos empreendimentos hoteleiros em Belo Horizonte. Ainda para promover um bom atendimento aos turistas, a cidade começa a preparar voluntários e trabalhadores para a Copa de 2014. Belo Horizonte é a primeira capital brasileira a registrar seu potencial linguístico, através de testes como o Toeic, que têm como objetivo avaliar e gerar uma amostra da capacidade de comunicação dos belorizontinos na língua inglesa, auxiliando a Prefeitura na identificação das reais necessidades de treinamento da população já inserida no mercado de trabalho. O Toeic é uma iniciativa da Prefeitura de Belo Horizonte, realizada em parceria com a Fundação de Educação Geni Nunes (Fundeg).

Comunicação e Marketing 

Várias ações estão previstas neste eixo, como adequar o espaço do ginásio Mineirinho para ser usado como um Centro Multimídia; divulgar a imagem de Belo Horizonte e de Minas Gerais no contexto nacional e internacional, com foco na consolidação do município como destino turístico do Brasil; desenvolver e implementar um plano de comunicação e marketing com o objetivo de atingir todos os públicos na mobilização e comprometimento com o Mundial. Outra meta é atrair seleções, de preferência de grande visibilidade internacional, para Belo Horizonte.

Utilidade Pública 

Neste ponto, o objetivo é realizar obras de meio ambiente que busquem a despoluição da Lagoa da Pampulha, além de desenvolver a infraestrutura necessária aos sistemas de segurança, saúde, energia e telecomunicação para atender as demandas da Copa de 2014. Também estão previstas ações esportivas em parceria com a área de desenvolvimento social no Estado e iniciativas sustentáveis na execução dos projetos vinculados à Copa do Mundo. Outra meta é estabelecer e implantar a metodologia para concessão do Certificado de Sustentabilidade Ambiental a empreendimentos em Belo Horizonte.

Fonte: BH Notícias

Imagem: Divino Advíncula