quinta-feira, 12 de julho de 2012

Dnit publica edital para obras do Rodoanel Metropolitano de Belo Horizonte

10/07/2012 - CNT

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) lançou o edital de licitação do projeto executivo para a construção da Alça Sul do Rodoanel Metropolitano de Belo Horizonte. As propostas devem ser enviadas até o dia 9 de agosto e o custo estimado da obra é de R$ 10,4 milhões. A empreiteira ou consórcio vencedor tem o prazo de 630 dias para concluir o estudo do trecho de aproximadamente 35 quilômetros orçado em R$ 500 milhões.

De acordo com o presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), senador Clésio Andrade, as obras de reformulação e modernização do Anel Rodoviário de BH são essenciais para melhorar o trânsito na capital mineira. "São obras de extrema importância para diminuir o fluxo de caminhões pesados, melhorar a mobilidade urbana e diminuir a poluição, além de reduzir o número de acidentes graves”, diz o parlamentar.

O impulso para as obras partiu de uma visita da presidente Dilma Rousseff a Belo Horizonte, realizada em junho. Ela anunciou que, por meio de uma parceria entre os entes federativos, o traçado das obras do Rodoanel seriam divididos em três alças que vão contornar a capital e passar por dez municípios - a sul é de responsabilidade do Dnit, a norte cabe ao governo do estado e a leste à prefeitura.

A licitação da Alça Sul delimita o traçado entre as BRs 381 (BH-SP), 262 (Betim-Triângulo Mineiro), 040 (BH-RJ) e 356 (BH-Ouro Preto), uma das mais importantes e movimentadas do complexo viário. O Dnit subdividiu o projeto em dois segmentos - o primeiro é entre as BRs 381 e 262, em Betim, até um acesso a ser criado na cidade de Ibirité, e o segundo começa neste trecho até a BR-040, próximo a Nova Lima. 

Rosalvo Streit
Agência CNT de Notícias
 

sábado, 16 de junho de 2012

Dilma Rousseff libera R$ 6 bi para obras do PAC em Minas Gerais

12/06/2012 - Terra

A presidente Dilma Rousseff anunciou em evento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2, no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte nesta terça-feira, a liberação de R$ 6 bilhões para obras de mobilidade urbana em Minas Gerais. A quantia prevê a reforma do anel rodoviário de Belo Horizonte, a construção de um rodoanel - que irá se chamar "Rodoanel Mineiro" e também a duplicação dos 300 km da BR 381, do trecho entre BH e Governador Valadares.Segundo o ministro Paulo Sérgio Passo, dos Transportes, foi assinado nesta terça-feira o termo de compromisso para a elaboração do projeto executivo das obras do anel viário, que foi construído na década de 1960 e por onde passam atualmente quase 150 mil veículos por dia. Para este projeto executivo, o governo federal vai repassar ao governo mineiro R$ 17,3 milhões. A previsão é de que em setembro, o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) abra a licitação da obra, que deverá começar em 2013. Durante o discurso, a presidente Dilma Rousseff disse ainda que todas as obras serão feitas em parceria com o governo de Minas Gerais e a prefeitura de Belo Horizonte. A presidente afirmou ainda que a intenção do governo é incentivar o consumo interno, principalmente para atingir a faixa da população de 16 milhões de brasileiros, que ela chamou de "consumo reprimido", dizendo que "o Brasil comporta esse crescimento, por isso vamos incentivar o consumo". Dilma afirmou também que o nível de endividamento das famílias brasileiras não é elevado e que somente com o crescimento constante do consumo o País terá condições de enfrentar a crise no sistema bancário europeu.

Dilma firma compromisso para obras no Anel Rodoviário de BH

12/06/2012 - Agência CNT

Projetos de reformulação e modernização são uma reivindicação do presidente da CNT, senador Clésio Andrade.

A presidente Dilma Rousseff participou nesta terça-feira (12) da cerimônia de assinatura do termo de compromisso para elaboração do projeto executivo dos projetos de reformulação e modernização do Anel Rodoviário de Belo Horizonte. As obras são uma reivindicação antiga do presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), senador Clésio Andrade.

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o acordo prevê o repasse da União na ordem de R$ 17,3 milhões para a elaboração do projeto executivo da obra, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2). O governo estadual e a prefeitura da capital mineira também vão investir recursos.

“Essa obra mostra a necessidade de que parcerias federais, estaduais e municipais ocorram. Só assim, com essa visão integrada, é possível uma ação efetiva no sentido de superar alguns gargalos de infraestrutura no Brasil”, disse a presidente. No início do discurso, ela cumprimentou o senador Clésio Andrade, presente à cerimônia.

O parlamentar mineiro já cobrou medidas para a resolução do problema. Recentemente, enviou um ofício ao Ministério dos Transportes para tratar do assunto. “É uma obra de extrema importância para diminuir o fluxo de caminhões pesados dentro da cidade, melhorar a mobilidade urbana, diminuir a poluição e reduzir o número de acidentes”, disse.

As obras de adequação dos 27 quilômetros do Anel Rodoviário serão realizadas nas BR-262 e BR-040 e abrangem intervenções técnicas para melhorar a segurança e fluidez do tráfego. Serão criadas ou ampliadas pistas marginais, além de passagens superiores e inferiores e viadutos rodoviários.

O termo de compromisso tem vigência de 520 dias e considera o período de licitação, execução, análise e aprovação do projeto, a partir da data da publicação nos Diários Oficiais da União e do estado de Minas Gerais.

BR-381
O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, anunciou que serão liberados R$ 4 bilhões para obras viárias no estado. No total, se for considerada a parceria com o governo estadual e municipal, são R$ 6 bilhões. Além do Anel Rodoviário, os recursos serão investidos na duplicação da BR-381, no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares, garantiu Passos.

Segundo Clésio Andrade, as obras nesse trecho também são urgentes. “O que se vê na BR-381 são quedas de barreiras, buracos, erosão nos bordos e nos acostamentos e estreitamentos de pista, o que a torna extremamente perigosa para motoristas e passageiros, além de onerar e atrasar o transporte de bens e mercadorias essenciais à economia”, destacou.

Ainda em Minas Gerais, a presidente Dilma visitou as obras de modernização e duplicação da Linha Férrea entre as estações do Horto Florestal, em Belo Horizonte, e General Carneiro, em Sabará. O projeto contempla a retificação e duplicação de 8,3 km de linha da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). A previsão é que 250 mil pessoas, em mais de 10 bairros da região, sejam beneficiadas.

 VfRosalvo Streit